Vestir a camisa ou comprometer-se com os objetivos organizacionais, investir no plano de carreira proposto pela empresa. É quase certo que todo bom profissional em atividade no mercado hoje já tenha ouvido algo do tipo com ar de “conselho de amigo” vindo de executivos com cargos mais elevados, mas uma coisa que nem todos percebem é que quase sempre esse é um apelo de quem não leva em consideração a excelência multinível em sua gestão.

Já liderei desde salas de aula na posição de aluno e professor a organizações com equipes compostas de pessoas com formações, pensamentos e principalmente personalidades tão diferentes quanto impressões digitais, e isso foi ótimo para aprender que as necessidades variam de um indivíduo para outro.

Durante reflexões sobre os momentos em que liderei de alguma forma, percebi que ao menos 90% das vezes em que precisei citar a velha frase “vestir a camisa”, ou pedir comprometimento das minhas equipes, havia algo errado, e não era bem na base da pirâmide!

O conceito de liderança que sempre tive baseia-se em estimular, apresentar desafios e oferecer ferramentas para que os liderados tenham vontade de seguir e principalmente aprendam a criar auto motivação. Sim, você deve ser capaz de lidar com as situações mais difíceis e principalmente descobrir a sua forma de aumentar o grau de motivação, é assim nos esportes, na vida e não poderia ser diferente na carreira.

Quando falo sobre criar auto motivação, falo sobre aprender a converter pontos negativos em soluções de onde se possa extrair algo positivo, virar o jogo. Mas não pense que é fácil encarar algo complicado sorrindo, contudo, saber utilizar essa auto motivação certamente pode fazer toda a diferença uma vez que atravessar uma fase aparentemente ruim também pode tornar o profissional mais experiente, e por fim valorizá-lo.

A ironia em discutir a cultura de excelência multinível que proponho ao mesmo tempo em que falo de auto motivação reside no fato de que ainda há organizações com gestores incapazes de alcançar a alma do ato de liderar. Ainda há quem carregue o título de líder e entregue apenas pequenas tarefas, de qualquer maneira, soltas e sem um objetivo maior.

Nos últimos tempos tenho compartilhado as frustrações de profissionais admiráveis, porém que não têm passado muito tempo em uma mesma organização, e o que há em comum nas declarações de todos eles é justamente a impressão de estarem sendo “usados” apenas como engrenagens para o fim maior da organização: aumentar o lucro.

Remunerações mais enxutas por mais horas de trabalho, mais comprometimento por menos respeito, mais doação em troca de menor contrapartida e como não poderia deixar de ser, o fim dessa via de mão única acaba sendo, absenteísmo, improdutividade e turnover. Dessa forma a tentativa desesperada de aumentar margens de lucro através da exploração irresponsável do capital humano acaba por gerar prejuízo para a organização.

A excelência não é responsabilidade apenas da base da pirâmide organizacional, deve obrigatoriamente se estender até seu topo, na verdade partir de lá. Comprometimento não se pede, é conquistado com uma relação construída com base no respeito e doação de ambas as partes, consiste em “dar o exemplo”. Através de uma gestão comprometida com as necessidades individuais e principalmente inspiradora, as organizações aumentam o market share do público interno, que ultimamente tem andado um tanto quanto esquecido em alguns segmentos.

Como gestor e líder devo reconhecer que o mercado de fato anda carente de bons profissionais daqueles que reúnem um grande conjunto de “características desejadas”, contudo, é inegável que ainda há gestores em diversos segmentos completamente despreparados para a liderança, os verdadeiros merecedores do grande prêmio chicote de ouro.

Uma liderança se forma através da preparação de alguém que um dia fez parte da base da pirâmide organizacional, então aproveite sua carreira para criar diferenciais, pratique seu lado mais inspirador e cativante, utilize a auto motivação para superar desafios e convertê-los em aprendizado. Há sempre uma forma de dirigir quem o lidera desde que se tenha argumentos sólidos, então busque conhecimento, trabalhe seu marketing pessoal e sucesso!